Área Restrita

Últimas Notícias

Obrigações do Dia

  • 18/Janeiro/2018 – 6ª Feira.
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte.
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras.
  • INSS | Previdência Social.
  • EFD - Contribuintes do IPI | Pernambuco e Distrito Federal.

Indicadores Econômicos

Moedas - 17/01/2019 16:37:25
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,743
  • 3,744
  • Paralelo
  • 3,710
  • 3,900
  • Turismo
  • 3,590
  • 3,890
  • Euro
  • 4,262
  • 4,263
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,766
  • 3,766
  • Libra
  • 4,854
  • 4,856
  • Ouro
  • 153,780
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

Agora você vai poder parcelar multas de trânsito com cartão de crédito

Uma boa notícia pra quem precisa pagar as multas do carro para licenciar e não tem a grana toda.

A partir de agora, os pagamentos poderão ser feitos em parcelas, por meio de cartão de crédito.

O Conselho Nacional de Trânsito -Contran – publicou na quarta-feira, 18/10 , uma resolução que altera a forma de pagamento das multas de trânsito e demais débitos relativos aos veículos.
 
A resolução já está em vigor.

Outra medida prática é que os cartões de débito também poderão ser utilizados para pagamentos integrais.

O conselho aponta que a medida deve melhorar o processo de cobrança e quitação de débitos.

O parcelamento poderá englobar uma ou mais multas de trânsito.

Como funciona?

O órgão de trânsito receberá o valor integral no momento da operação e automaticamente regulariza o veículo.

Caso a divisão do valor em parcelas gere cobrança de juros, o acréscimo deverá ficar a cargo do titular do cartão, que deve ter acesso a informações sobre custos operacionais antes da efetivação da operação de crédito.

Já as operadoras arcam com possíveis atrasos.

Agora, para que essa alternativa comece a funcionar é preciso que as entidades integrantes do Sistema Nacional de Trânsito, como Detrans, Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) fechem acordos com empresas para habilitar o serviço.

A resolução aponta que elas devem ser autorizadas por instituição credenciadora supervisionada pelo Banco Central do Brasil a processar pagamentos, sem restrição de bandeiras.

De acordo com a norma, não poderão ser parcelados os seguintes tipos de débito:

-as multas inscritas em dívida ativa;

-os parcelamentos inscritos em cobrança administrativa;

-os veículos licenciados em outras unidades da federação;

-e multas aplicadas por outros órgãos autuadores que não autorizam o parcelamento ou arrecadação por meio de cartões de crédito ou débito.

Fonte: Agência Brasil.

Site desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)
AFS Escritório Contábil Ltda
Rua Miguel Couto, 35 - Grupos 503 - Centro - Rio de Janeiro, RJ - CEP 20070 030
Fone: 21 2233 0354 | 21 2516 0792